fbpx

O Minha Casa, Minha Vida voltou com novas regras e novos benefícios. Veja quais são os principais pontos e como você pode participar com a Quali Residencial.

Em 2009, o Governo Federal criou o programa de habitação popular urbana e rural “Minha Casa, Minha Vida” (MCMV), que oferecia “subsídio e taxa de juros abaixo do mercado, para facilitar a conquista de moradias populares e conjuntos habitacionais, como apartamentos  ou imóveis no campo até um determinado valor.

O Minha Casa, Minha Vida foi substituído durante o governo anterior, passando a se chamar “Casa Verde e Amarela”. No entanto, este ano, o governo anunciou a retomada do programa, tendo como meta contratar, até 2026, dois milhões de moradias.

Este pode ser o melhor momento para quem busca auxílio para conquistar o primeiro imóvel próprio, já que, com as mudanças nas regras, muitos benefícios foram atualizados. 

Além dos benefícios e vantagens, também existem algumas regras novas para receber o subsídio do Minha Casa, Minha Vida. Quer saber quais são as mudanças, como utilizar os benefícios e como dar adeus ao aluguel e conquistar o seu primeiro apartamento com a Quali Residencial? Continue lendo este post e fique atento aos detalhes!

Como funciona o Minha Casa Minha Vida

O Minha Casa, Minha Vida, ou MCMV, nada mais é do que uma iniciativa do Governo Federal que funciona como um financiamento para compra de imóveis com condições diferenciadas de pagamento, desde juros mais baixos até subsídios.

Dessa forma, o Minha Casa, Minha Vida ajuda a população de baixa renda a dar adeus ao aluguel e conquistar o imóvel próprio sem precisar se afundar em dívidas para isso, proporcionando prazos de pagamento maiores, juros mais baixos e parcelas que cabem em qualquer tipo de bolso.

Ou seja, o programa Minha Casa, Minha Vida financia o seu imóvel, podendo até pagar uma parte dele para você por meio de subsídios fornecidos pelo governo, dependendo da sua renda mensal e do valor do imóvel. 

Sim, alguns dos benefícios do Minha Casa, Minha Vida podem variar de acordo com uma série de critérios e em qual classificação do programa você se encaixa. Para participar é preciso preencher alguns requisitos. Veja quais são os principais deles abaixo:

Importante ressaltar que é possível somar a renda mensal bruta de todos os integrantes da casa para conseguir financiar imóveis com valores mais altos. 

Dessa forma, é preciso saber em qual das “faixas” definidas de acordo com a renda você se encaixa. E um detalhe: quanto mais baixa a renda, menores são as taxas de juros e parcelas, por exemplo. 

Quais são os benefícios do Minha Casa Minha Vida para conquistar o primeiro apartamento?

A Quali Residencial sabe que dar este passo rumo a conquista do seu primeiro apartamento é um momento muito especial e requer muita atenção. Queremos ser sua parceira nesta jornada e vamos começar te mostrando os principais benefícios de utilizar o Minha Casa, Minha Vida para conquistar seu apartamento dos sonhos.

Subsídio do Governo com juros reduzidos

Com o subsídio, parte do valor do imóvel no financiamento será concedida pelo Governo, como uma espécie de desconto, dependendo da faixa de renda da família e da localização do imóvel. 

Nas faixas 1 e 2, o valor do subsídio aumentou em 2023 para até R$ 55 mil (antes, era de R$ 47 mil) para aqueles que acessarem o financiamento habitacional Minha Casa, Minha Vida com recursos do FGTS.

Além disso, as taxas e juros são até 3x menores do que a média em financiamentos convencionais – que podem chegar a 12%.

Maíores prazos de pagamento

As condições flexíveis de pagamento do Minha Casa, Minha Vida, facilitam ainda mais a conquista do seu apartamento. A Caixa Econômica Federal, participante do acordo, possibilita prazos estendidos de até 420 meses (equivalente a 35 anos) para o pagamento do subsídio, enquanto outros bancos costumam oferecer até 360 meses (ou 30 anos).

É importante considerar que a idade do requerente influencia no prazo de pagamento do financiamento. 

Parcela proporcional

Uma das maiores vantagens do programa, é o cálculo do valor das parcelas que ajudam os beneficiados a ter o valor das prestações proporcionais à sua renda familiar. 

Por exemplo, as famílias com renda entre R$800 e R$1.200 mensais não devem comprometer mais de 10% de sua renda com o pagamento das parcelas do Minha Casa Minha Vida.

Já para quem tem salários entre R$1.200 e R$1.600, esse índice passa a ser de 15%, e para quem recebe valores entre R$1.600 e R$1.800, a prestação seria de até 20% do valor ganho em cada mês.

Em todas as faixas do programa Minha Casa, Minha Vida, o comprometimento nunca pode ultrapassar 20% da renda familiar, e pode contar com até 36 meses de seguro-desemprego, como auxílio no pagamento das parcelas do Minha Casa Minha Vida. Essa possibilidade garante segurança para quem foi demitido ou ainda está à procura trabalho.

Quem pode participar do programa Minha Casa Minha Vida

O Minha Casa, Minha Vida possui diversas normas para definir quem pode ser contemplado, dividindo as faixas de renda das famílias em 3 classificações. Ele funciona tanto na área urbana quanto na rural e os contemplados precisam se enquadrar em alguns requisitos sociais e de renda, além de não possuir imóvel em seu nome.

Atualmente, o programa é voltado para residentes em áreas urbanas com renda bruta familiar de até R$ 8 mil por mês e famílias de áreas rurais com renda bruta de até R$ 96 mil por ano, não levando em conta valores recebidos de benefícios temporários, previdenciários ou assistenciais como auxílio-doença ou bolsa família.

Abaixo, temos uma tabela que ilustra as classificações das faixas com mais detalhes:

Modalidades

Existem sete formas de se encaixar nos requisitos e se beneficiar com o Minha Casa, Minha Vida:

*Nestas modalidades, o atendimento pode ser estendido à faixa 2 de renda em casos de reassentamento ou provenientes de área de risco, de situação de emergência ou de estado de calamidade pública.

As principais mudanças desse novo programa 

Desde 2009, o Minha Casa, Minha Vida passou por algumas atualizações para se adequar ao novo cenário econômico e social. Quase 15 anos depois, o programa continua dando auxílio à famílias que possuem baixa renda e servindo como facilitador para a realização do sonho do primeiro imóvel. Veja as principais atualizações realizadas em 2023:

Aumento da faixa de renda

No novo Minha Casa Minha Vida, as faixas de renda foram ampliadas:

Faixa 1

As novas regras redefinem a Faixa 1 (para famílias da área urbana) para abranger famílias com renda bruta familiar até R$ 2.640 por mês (anteriormente de R$ 1.800), equivalente a duas vezes o valor do salário mínimo atual.

Já para as famílias da área rural, a Faixa 1 contempla renda bruta familiar de até R$ 31.680 por ano.

Faixa 2

A Faixa 2 (para famílias da área urbana) contempla renda bruta familiar de R$ 2.640,01 a R$ 4.400 por mês.

Já para a área rural, a Faixa 2 engloba renda bruta familiar de R$ 52.800,01 até R$ 96.000 por ano.

Faixa 3

A Faixa 3 (para famílias da área urbana) refere-se à renda bruta familiar de R$ 4.400,01 a R$ 8.000 por mês.

Já a Faixa 3 para famílias residentes em áreas rurais é de renda bruta familiar de R$ 52.800,01 até R$ 96.000 por ano.

Valor do imóvel

O valor do imóvel também foi ampliado. Agora, o programa contempla valores diferentes de acordo com o porte da cidade que receberá o empreendimento e com a faixa de renda para qual ele está destinado.

Aumento no valor de subsídio

Como já mencionamos anteriormente, o subsídio no Minha Casa, Minha Vida (parte do financiamento que é paga pelo governo) para famílias da faixa 1 e faixa 2 que utilizarem recursos do FGTS para o financiamento passou para até R$ 55 mil (de R$ 47,5 mil anteriormente), e o valor máximo do imóvel é de R$ 170 mil para áreas urbanas e R$ 75 mil para áreas rurais.

Em unidades que passaram pelo processo de retrofit (modernização de algum equipamento já considerado ultrapassado ou fora de norma), o imóvel pode ter valor até 40% superior ao limite.

Taxa de juros e financiamento

No novo Minha Casa, Minha Vida, as taxas de juros do financiamento do imóvel foram reduzidas para a Faixa 1. Para as famílias com renda de até R$ 2 mil mensais, a taxa passou de 4,50% para 4,25%.

Já os juros do faixa 2 e 3 são os mais baixos do mercado, com limite máximo de 8,16% ao ano.

Imóveis com mais qualidade de vida e bem-estar

As novas regras do Minha Casa, Minha Vida trazem melhorias nas especificações dos imóveis para garantir moradia de qualidade aos beneficiários:

Todos estes pontos parecem muito familiares, não é mesmo? Já olhou o Quali Flora, em Cravinhos, e o Quali Bonfim Paulista? Nossos empreendimentos contemplam lazer completo, com áreas para prática de esportes, localização com acesso aos principais pontos das cidades e apartamentos de, no mínimo, 42 m².

Como conquistar seu primeiro apartamento utilizando o Minha Casa Minha Vida junto da Quali Residencial

Os contemplados no Minha Casa, Minha Vida precisam se enquadrar em alguns requisitos sociais e de renda -que já falamos acima, além de não possuir imóvel em seu nome, para usufruir dos benefícios do programa.

As famílias com renda mensal até R$ 8.000,00, podem contratar de forma individual ou diretamente com a Quali Residencial. Nós faremos a simulação para saber quanto você poderá investir e entregar a documentação com todos os detalhes para você.

Conquiste seu apartamento utilizando o Minha Casa Minha Vida junto com a Quali!

Viu como é mais fácil e vantajoso conquistar o imóvel próprio e dar adeus ao aluguel?

Com a Quali, você consegue utilizar todos os benefícios e vantagens do Minha Casa, Minha Vida para ter o apartamento dos seus sonhos com muito mais segurança e vantagens. Fale com nossos consultores agora mesmo!

​​📲 WhatsApp: (16) 99755-9913

📍Cravinhos: Av. Pedro Amoroso, nº 1515

📍Bonfim Paulista: Av. Miguel Padulla, nº 250

📍Ribeirão Preto: Independência Center Office Mall Av. independência, 3840 Loja 03

Compare listings

Comparar